Mafalda e Vasco: Uma Carta Para a Vida

A pouco tempo do casamento, Mafalda encontra-se a acabar os últimos pormenores e preparativos. O brilho no olhar é visível e a sua alegria, contagiante.

A idade média do primeiro casamento em Portugal, para as mulheres, é aos 31 anos. Mafalda tem 20. Por que terá tomado ela a decisão de casar tão cedo? Quais os motivos que a levam a prometer a Vasco “ser-lhe fiel, amá-lo e respeitá-lo na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da sua vida e até que a morte os separe”?

HISTÓRIA DE AMOR

Ela sabia que era amor mesmo antes de o ser. Quando o viu pela primeira vez, e apesar dos seus 14 anos, Mafalda soube que ia passar o resto da sua vida com Vasco. Soube mas calou. Ao fim de três anos, Vasco percebeu que estava apaixonado por ela. A paixão transformou-se em amor e rapidamente se deram conta que o seu encontro era parte dos planos de Deus.

Chovia torrencialmente. A ténue luz das velas iluminava a noite de dia 12 de Junho de 2016 no santuário de Fátima. Vasco tinha o anel no bolso. A sua respiração estava ofegante. Mal podia disfarçar os nervos… Esperara muito tempo por aquele momento. Trazia consigo uma carta. A Carta.

REMANDO CONTRA A CORRENTE

Numa época em que em Portugal o número de casamentos diminuiu 55% face a 1990 e o número de divórcios é três vezes superior, a decisão da Mafalda e Vasco para alguns, pode ser considerada uma loucura enquanto para outros pode ser vista como a prova de que o amor verdadeiro ainda existe.

Se sabem que estão contracorrente? “Totalmente a par”. Se estão preocupados com isso? “Nada”. Para eles é uma decisão consciente e livre. “Esperar para quê?”

MAFALDA

Para Vasco, Mafalda “é toda ela música”. A ligação de Mafalda à música começou aos seis anos de idade, com o seu fascínio pelo violino. Quando conheceu Vasco uma nova dimensão da música desabrochou-lhe na alma: o canto.

“A música ensinou-me a ser perseverante. Ensinou-me que é preciso lutar pelo que queremos e a dar valor às pequenas coisas. Porque a música é mesmo assim: nota a nota”. Certa do seu amor por esta arte, ao acabar o secundário, ingressou no Curso de Ciências Musicais, na FCSH/NOVA. Este ano terminou a sua licenciatura.

Nasceu numa família numerosa, sendo a 6ª de oito irmãos com os quais tem uma relação muito próxima. Viver numa família grande supôs para ela alguns desafios aos quais respondeu com uma maturidade que lhe é característica. Alegre e interessada por tudo o que a rodeia, Mafalda desde pequena que “é um sol”, confidencia a mãe.

 

Por Maria Calderón, Carolina Azevedo Ferreira e Lwezi Correia

 

Submit a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.