João Bertoni: Do Youtube para o mundo

É natural de São Paulo, mas tem passado o último ano em Portugal a fazer um intercâmbio. Passou seis meses nos Estados Unidos durante o ensino secundário, e agora encontra-se na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Espontâneo, alegre e grato pela vida, João Bertoni encontra no youtube um espaço que lhe permite expressar a sua criatividade… para mais de 26 mil seguidores.

João Bertoni estava há dois meses em Portugal, quando numa corrida pela manhã torceu o pé. Distensão do tornozelo e uma semana de repouso absoluto em casa. Nessa altura, João pensou em desistir e voltar para o Brasil. Uns meses mais tarde, decidiu mudar-se para um hostel, onde convive com pessoas dos quatro cantos do mundo.

O início em Portugal e no Youtube

João é uma pessoa comunicativa e de afetos. Vive os seus dias com energia positiva. Acorda cedo para correr ao ar livre e gosta de dançar para libertar as tensões do quotidiano na metrópole.
Aos 21 anos, com o curso bem encaminhado, um estágio numa multinacional de renome em São Paulo, João decidiu mudar o rumo à sua vida. “Comecei a entrar numa rotina. A minha vida era faculdade-casa-casa-faculdade. Precisava de sair da minha zona de conforto e conhecer o que estava para lá da minha realidade.”

Decidiu viajar até ao outro lado do Atlântico e veio estabelecer-se em Portugal. Aterrou no aeroporto de Lisboa sozinho, sem ninguém à sua espera e sem sítio para ficar. Apenas ele e os seus dois troleys gigantes. “Decidi contactar um familiar de um amigo de um amigo meu e fiquei em casa dele umas semanas.” João estava pronto para embarcar numa nova aventura. Otimista de natureza, não teve receio de não ter nada programado e decidiu ir aproveitando as oportunidades que se cruzavam no seu caminho. De telemóvel na mão, foi registando os momentos da sua jornada.

Depois de uma busca intensiva por casa e apartamentos, João foi viver com uma família, composta por mãe e filho. “Queria aprender mais sobre a cultura portuguesa, daí ter optado por ir viver com uma família portuguesa.” Com uma rotina estabelecida, os dias mais calmos e um espaço a que podia chamar de casa, João decidiu, nos seus tempos livres, compilar todos os fragmentos de vídeo que tinha feito até então e editá-los. O resultado agradou-lhe tanto que decidiu partilhar no canal de youtube para que todos os seus amigos pudessem ver. Sem imaginar as proporções que o vídeo iria ter, João deu o primeiro passo enquanto youtuber “a sério”. Hoje, o vídeo “Me mudei para Portugal” é um dos mais vistos do seu canal e conta com mais de 100 mil visualizações.

Mudanças

Depois de alguns meses em Portugal e algumas amizades criadas na faculdade, João decidiu mudar de casa. “Gostava muito de viver com a família, mas os meus dias eram demasiado tranquilos. Sentia que ainda não estava a viver o intercâmbio”.

No natal, as suas amigas vieram a Portugal para passarem a quadra com ele. Ficaram hospedadas num hostel que dias mais tarde tornar-se-ia a sua nova casa. “Fui com as minhas amigas ao hostel e o ambiente impressionou-me muito.” Mais uma oportunidade cruzou-se no seu caminho. O estabelecimento tinha um programa de voluntariado, que consistia em horas de trabalho em troca de alojamento e comida. Bertoni não hesitou e decidiu aceitar.

Hoje em dia é no hostel que João partilha o seu dia com dezenas de pessoas oriundas de Espanha, Argentina, Grécia, Brasil, Chile, entre outros países. “É uma experiência multicultural!”, exclama.

João Bertoni, o youtuber

Na rua das traseiras do hostel ouvem-se os pássaros a cantar. É um ambiente tranquilo. Ninguém diria que estamos no centro de Lisboa. Sentado no chão, Bertoni fala sobre a sua vida e o youtube. Apesar de ter iniciado algumas parceiras com marcas portuguesa, João Bertoni afirma que viver do youtube ainda é uma realidade muito distante. “O meu canal está a crescer, mas ainda não consigo ganhar dinheiro suficiente para fazer disto vida.”

João tenta publicar vídeos uma vez por semana. Nem sempre o consegue porque por norma demora cerca de “4 a 5 horas a editar”. “Isto por si só já demora, e depois eu sou muito perfeccionista.”

Com o número de seguidores a aumentar, João já é abordado na rua. “Ainda é estranho para mim. As pessoas vêem-me na rua e pedem fotografias.” Por agora, João vai continuar a conciliar os estudos com a criatividade que lhe permite criar produtos digitais. Quanto ao futuro, João está a pensar mudar-se para Portugal, para terminar os estudos e, quem sabe, arranjar um emprego.

 

Submit a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.